Espiritualidade na vida cotidiana

Espiritualidade na vida cotidiana

A espiritualidade traduz um modo de ser, uma atitude que acompanha o ser humano em cada passo do dia a dia. Ela expressa uma energia que é comum a todos, independente de crença religiosa. Uma ponte de acesso à dimensão de profundidade da própria condição humana. A espiritualidade é um exercício de vida e experimentação.

Ela é definida como uma propensão humana a buscar significado para a vida por meio de conceitos que transcendem o tangível, à procura de um sentido de conexão com algo maior que si próprio.  Na filosofia, a ideia de espiritualidade se dá a partir da oposição entre a matéria e o espírito. Pode associar-se a espiritualidade a uma busca do sentido da vida que transcende o mundano.

O teólogo Karl Rahner destaca que a espiritualidade é uma experiência que acontece não apenas quando o sujeito participa explicitamente de uma atividade religiosa, mas em todo momento em que ele atua de forma autêntica a sua própria experiência.

Para a monja tibetana, Jetsunma Tenzin Palmo, é realmente muito importante reconhecermos que não é suficiente ter atitudes espirituais apenas quando estamos em um local propício, por exemplo. “Quando eu vou à igreja, ou ao templo, quando estou sentado meditando ou rezando, isso é vida espiritual, e no resto do tempo, com a minha família, no meu trabalho, na minha vida social, isso é só atividade mundana”, ressalta a monja.   Para ela, se pensarmos assim e fizermos essa divisão, nós nunca seremos capazes de nos transformar. Mas se reconhecermos que há muitas qualidades que precisam ser desenvolvidas, incluindo a bondade amorosa, a compaixão, a paciência, a generosidade e a aspiração pela felicidade dos outros, então, para praticar, precisamos das outras pessoas e também de parar de fazer esta distinção.

Dalai Lama, em seu livro a Arte da Felicidade, já descreveu que é muito fácil ser paciente quando você está praticando sozinho. Para ele, a verdadeira escola é quando estamos em contato com outras pessoas, que algumas vezes não são muito bem da maneira que esperávamos. Aí está uma oportunidade para você se tornar uma pessoa realmente espiritualizada! Como desenvolver a paciência se não tiver ninguém para te incomodar?

O mesmo vale para toda sua família. Pensar nas nossas palavras e atitudes para com nossos familiares é uma maneira de exercitar virtudes que só podem ser conquistadas por meio do exercício diário. Uma boa dica é pensarmos sempre como é possível oferecer felicidade a eles?

Dalai Lama vai mais além, quando diz para oferecermos felicidade às pessoas no trabalho, as pessoas de quem você gosta e as pessoas com as quais você tem dificuldades. Deseje felicidade para todos os seres!

Dessa maneira, tudo que fazemos na vida se torna uma prática espiritual. Não tem como você dizer que não tem tempo. Além disso, se estiver muito esgotado, com muita coisa acontecendo, traga a atenção de volta para a respiração. Nós estamos sempre respirando, mas normalmente não estamos conscientes desse processo. No momento em que tomamos consciência da respiração, estamos no presente e centrados.

Deixe uma resposta