Blog

Os mitos e verdades sobre a meditação
Mitos e verdades sobre a meditação

Mitos e verdades sobre a meditação

Aumento da concentração, foco, calma, relaxamento. Esses são apenas alguns dos benefícios da prática de meditação. Mas, apesar de estar muito mais difundida nos dias atuais, meditar ainda é um tabu para muitas pessoas.

Mesmo com cerca de mais de 3 mil anos de história, o ato de meditar ainda atrai muitos olhares curiosos, que enxergam apenas alguns lados da prática, sem reconhecer o quanto, ao se espalhar pelo mundo, ela gerou diversas mudanças.

A verdade é que meditar, hoje, é muitas vezes indicado por terapeutas para melhoria de sintomas de depressão e ansiedade, por exemplo. O que demonstra o quanto a prática, apesar de muito antiga, evoluiu para auxiliar em um problema muito recorrente em nossa sociedade.

O mindfulness, aliado à prática psicoterápica já é, inclusive, objeto de diversos estudos, que buscam encontrar cada vez mais os benefícios da relação da meditação com a nossa mente.

Portanto, para auxiliar a todos a encontrarem na meditação algo que vá além da visão inicial e reducionista que muitas pessoas possuem da prática, resolvemos preparar esse conteúdo com os mitos e as verdades que envolvem essa temática…

Vamos lá?

1. Uma única posição: MITO

Quando falamos em meditação, qual é a primeira imagem que vem na sua cabeça?

Muito provavelmente você pensou em uma pessoa sentada em posição de lótus, não é? Essa é uma das posições mais famosas na meditação, mas, até mesmo por ser muito conhecida, acabou reduzindo o ato de meditar a ideia de que você precisa estar sentado nessa posição específica.

Na realidade, a posição de lótus não é obrigatória para a prática da meditação…

A única determinação em relação ao seu corpo, que a prática exige, está relacionada à postura (sua coluna deve estar ereta) e cabeça e pescoço relaxados. Mas, tudo isso tem mais relação com o conforto ao praticar a meditação do que necessariamente uma regra para meditar.

2. Meditar provoca alterações em nosso organismo: VERDADE

Sim! E as alterações são diversas…

Nossas células gastam menos oxigênio, o coração bate mais devagar, o nosso cérebro passa a ampliar ondas cerebrais relacionadas ao relaxamento.

Relaxamos…

Além disso, aumentamos a produção de neurotransmissores, como a serotonina, dopamina e norepinefrina… responsáveis pela nossa sensação de bem-estar.

3. Devo ser budista para meditar? MITO

Apesar de estar intrinsecamente ligada à religiões orientais, o ato de meditar já sofreu diversas alterações com o passar do tempo e, mesmo que ainda traga características que são trabalhadas pelas religiões, a prática atual já mudou muito.

Devemos refletir e entender que a meditação não está obrigatoriamente ligada a qualquer religião. 

A ideia central aqui é buscar relaxamento, autoconhecimento e bem-estar, qualquer que seja a sua fé.

4. A meditação nos faz lidar melhor com estresse: VERDADE

Fugir do estresse na sociedade atual é impossível, certo? Porém, saber lidar com ele é necessário para que consigamos enfrentar os problemas do dia a dia.

Neste ponto, a meditação pode ser uma excelente aliada para que saibamos quais são as melhores formas de lidar com o estresse.

5. A prática pode curar todos os nossos males: MITO

Se você está achando que vai encontrar a cura para todos os seus problemas físicos e mentais na meditação, pode acabar se decepcionando…

A prática nos ajuda em diversos aspectos, desde resolver os nossos problemas diários com mais calma, até a melhora em algumas doenças, mas a cura para tudo? Não.

Mesmo quando bem realizada, a meditação ainda assim tem os seus limites. Devemos entender que o ato de meditar é uma espécie de ajuda que recebemos, para momentos difíceis, mas também para levarmos uma vida mais leve e com bem-estar.

6. Meditação pode substituir medicações: VERDADE

Sim, a meditação pode ter o poder de substituir medicações. Mas, neste caso, é MUITO importante que você tome cuidado e entenda o que estamos falando aqui.

Meditar não quer dizer que você vai poder, logo de cara, substituir qualquer uso de medicamento.

Conforme comentamos no tópico anterior, é um MITO dizer que a prática da meditação pode curar todo e qualquer problema que tivermos.

A ideia aqui, é que podemos sim nos livrar de alguns medicamentos. Como é o caso da medicação para a ansiedade.

Como o mindfulness e a prática de meditação podem reduzir os sintomas da ansiedade, pode ser que ela te auxilie a se sentir melhor sem o uso de medicações. É claro que se você faz uso de qualquer remédio, é sempre necessário consultar um profissional da medicina (ou da psicologia e psiquiatria) para entender se pode ou não deixar a medicação de lado.

A questão é que a meditação pode sim atuar como um suporte para determinados problemas, levando as pessoas a encontrarem o verdadeiro sentido do bem-estar.

E aí, o que você achou?

Para você ver… Existem diversos mitos relacionados a prática de meditação. Mas, como mencionamos no início deste texto, estamos evoluindo cada vez mais nessa prática e ela está cada vez mais difundida.

Hoje em dia, empresas investem em práticas de meditação para os seus funcionários, as pessoas passaram a começar a praticar em busca de um estilo de vida melhor e, como já afirmamos, diversos estudos estão sendo realizados para entender os reais benefícios da meditação.

Já existem benefícios científicos, comprovados, no ato de meditar. Ou seja, essa prática ainda vai alcançar muitas pessoas por aí!

Confira também o nosso conteúdo sobre os benefícios científicos da meditação aqui >

Caso, depois de desmistificar a meditação, você tenha se interessado pela prática, que tal começar a compreender um pouco mais sobre como você pode começar?

Em nosso Instagram você acompanha diversas dicas, além de outros conteúdos com foco em práticas de bem-estar, sobre como você pode levar toda essa sensação boa para a sua vida também. Acesse clicando abaixo e siga para inserir um pouquinho de bem-estar na sua rotina diária:

View this post on Instagram

Afinal, por que fazer, como fazer e quando fazer?

A post shared by Gaya Bem-Estar (@gayabemestar) on